sábado, 18 de janeiro de 2014

Preciso de me moralizar, eu sei!

Não têm sido dias fáceis. Tento que as partes boas venham ao de cima, mas por vezes torna-se complicado. Ainda não fiz nada de jeito nesta época de exames...
Ontem tive um exame do qual desisti nos primeiros quinze minutos, mas fui logo estudar para o que tinha hoje. Até estava confiante. É provavelmente das disciplinas que mais exigem de nós, mas eu sei desenrascar-me bem em 80% da matéria (acreditem, é obra).
Hoje cheguei lá, olhei para o exame e fiquei calma. Sabia fazer 16 valores e, à medida que o tempo avançava, sentia que estava a fazer tudo com pés e cabeça. O problema é o tempo, senhores. Temos 03h30 e, acreditem ou não, é muito pouco. Não parei de escrever um único instante, foi sempre a despachar, e só consegui fazer 12 valores do exame. Isto porque apenas uma alínea era fazer umas contitas e já está, umas ocupam uma página, outras duas... Ainda por cima, num exercício bastante complicado (é uma matéria manhosa), eu consegui chegar à expressão final correctamente (metade do exercício). Depois disso, engano-me a fazer as contas na calculadora, e a restante cotação (2 valores) vai com o caraças. Além de que este exame é com uma professora que, a partir do momento em que qualquer coisa está errada, está tudo errado a partir daí (ou antes, por vezes). Se te enganas num sinal, ou qualquer coisa... Bye bye, cotação da pergunta inteira.
Resultado: sinto que o meu esforço não serve para nada. Os únicos dois exames para os quais estudei a sério, num acontece isto e no outro tenho 7. Sem contar com o que fiz hoje, porque se passar não tenho tempo para melhoria (isto deixa-me mesmo triste, sinto que sei "imenso" daquilo e que não o sei demonstrar), tenho 4 exames em época especial, que começa não tarda. Como se não bastasse, perdi uma semana de estudo a fazer relatórios e o professor não valorizou o nosso trabalho: correu toda a gente com 13's. Mas que raio de profissionalismo é este??

2 comentários:

м♥ disse...

está complicado, realmente, mas daqui a pouco tudo passa!

Ju. disse...

Então minha querida i.? Eu sei que é complicado, ainda agora me aventurei nestas andanças, mas já começo a ver que é MESMO difícil. É frustrante o nosso esforço não ser recompensado - e senti isso na cadeira para a qual passei as férias de Natal todas a estudar e chumbei - mas temos de seguir em frente e tentar com na próxima vez seja. Ou na próxima. Ou na próxima. Há de haver sempre uma nova oportunidade, as cadeiras não fogem. E, desde que saibamos que demos o nosso melhor, só temos razões para ficar de consciência tranquila.
Beijinho*